quarta-feira, 10 de maio de 2017

Progresso VS Perfeição: O amor que sonhamos ou a verdadeira felicidade

Imagem reprodução: Google

Conheci uma moça na rua outro dia que estava muito triste. Ela me contou que estava namorando um homem "maravilhoso, mas cheio de defeitinhos" e ela não conseguiria lidar com esses defeitinhos. Ela só sabe lidar com perfeição. Segundo a moça, perfeição é sinônimo de felicidade

Respirei por um momento, tentando entender aquela moça e sua concepção de felicidade. Confesso que não consegui!

Nunca achei que felicidade fosse baseada numa relação onde o outro precisa ser perfeito para atender suas necessidade. Na verdade, o que significa ser perfeito? Não cometer erros? Saber conversar sobre tudo e ter sempre a resposta certa para qualquer pergunta? Saber exatamente o que seu companheiro (a) quer e que precisa? Nunca dar vexame em festa/bares e ser sempre bem comportado? Fazer exatamente aquilo que o outro quer?

A minha concepção de felicidade é outra. É saber ser presença e ser ausência. É ter opiniões próprias sobre os mais variados assuntos e saber debater seus argumentos quando necessário. É sair pra se divertir e não se importar se vai dar vexame. É entender que cada um tem a sua vida e não precisamos jogar nossa felicidade na mão do outro.

O amor, pra mim, é como um jogo de tabuleiro: vamos avançando a medida que fazemos escolhas que consideramos boas para nós e para os outros. É um verdadeiro progresso. A cada coisa boa que fazemos, avançamos. A cada jogada errada, recuamos, mas vemos o que fizemos de errado e avançamos. Amor não tem nada a ver com perfeição. Tem a ver com um progresso maravilhoso, onde conhecemos as imperfeições do outro e aprendemos como lidar com elas (às vezes até nos apaixonamos por ela). Amar é saber entender o outro como um só. Saber que cada ser humanos tem suas particularidades e, acima de tudo, que o outro não nasceu pra ser exatamente do que você. Afinal, quem disse que tinha que ser tudo perfeito para dar certo?

Jussara Souza, 23 anos, 
graduanda em jornalismo pela 
Universidade Federal de Juiz de Fora, 

Produtora e Repórter pela Rádio CBN Juiz de Fora e escritora da página Entre amores e delírios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário